quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Quem é o autor?

Ao chegar em casa ontem à tarde, fui recebido com esta placa. A foto foi inevitável. Inevitável também foi a pergunta que qualquer um de nós faria: quem foi que escreveu isso?

Para quem quiser, esta placa pode revelar sobre a qualidade de nossas aulas de língua portuguesa.  Um questionamento: por que a maioria dos nossos alunos conclui o ensino médio sem saber ler e escrever razoavelmente? Não sabem aprender ou não sabemos ensinar? Não aprendem o que devem ou não ensinamos o que precisam aprender?...

domingo, 17 de outubro de 2010

Um bom e-mail que recebi

DEFICIÊNCIAS - Mario Quintana (escritor gaúcho, 30/07/1906 - 05/05/1994)

Deficiente é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino. 
Louco é quem não procura ser feliz com o que possui. 
Cego é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.
Surdo é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.
Mudo é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
Paralítico é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.
Diabético é quem não consegue ser doce.
Anão é quem não sabe deixar o amor crescer.
E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:
Miseráveis são todos que não conseguem falar com Deus.

"A amizade é um amor que nunca morre. "

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

STF- só uma notinha

A atual eleição foi e está sendo só mais uma. Não contribuirá em quase nada para a melhoria do país. Pode até ser que melhore; mas revolução mesmo, a partir dessa eleição, não podemos esperar. A não ser os que veneram a utopia.

A cada eleição, o eleitor fica sem saber em quem deve se espelhar, em quem pode acreditar, se é que ainda acredita. Quando deu para o STF (Supremo Tribunal Federal) empatar na hora de votar sobre a Ficha Limpa...

Temo que dentro de pouco tempo não saibamos mais decidir se roubar é bom ou ruim; se ser honesto é honroso ou vergonhoso; se pedofilia é crime inescrupuloso e nojento ou se "precisamos discutir democraticamente essa questão." Pensando bem, será que ainda sabemos decidir sobre essas questões?

sábado, 2 de outubro de 2010

Em ritmo de eleição

Dilma vai visitar um hospício e é recepcionada por uma comissão de pacientes. - Viva a Dilma! - Viva a Dilma! - Viva a Dilma!
Gritavam eles, entusiasmados.
Ao ver um deles calado, a Dilma arrogantemente como sempre perguntou-lhe:
- E você, por que não está gritando: Viva a Dilma?

- Porque eu não sou louco, sou o médico!

O jornal na sala de aula

Este é o título dado ao Curso de Extensão que começamos a ministrar ontem  aos alunos dos cursos de Letras, Pedagogia e História, no prédio da Unopar – Universidade Norte do Paraná.
Entre as várias bibliografias sobre o tema, escolhemos o trabalho de Maria Alice Faria, estudiosa que empenhou grande parte de sua vida na investigação do assunto. Durante a aula de ontem, vários pontos foram discutidos, entre eles, a dificuldade de levar alunos da rede pública e privada em geral a se interessarem por jornal, visto que este material sempre foi tido como “coisa de gente grande” ou de “gente velha”.
Questionou-se (muito bem, por sinal) se jornais acrianos conseguiriam se mostrar interessantes para nossos alunos, levando em conta a péssima qualidade dos textos e diagramação dos periódicos acrianos.
Com três edições dos que estão entre os principais jornais da capital acriana, observamos, eu e meus alunos, matérias repetidas em pelo menos dois deles, o que os torna ainda mais desinteressantes para qualquer leitor.
Em nosso próximo encontro, sexta feira que vem, 8, assistiremos à película “Acima de qualquer suspeita”, filme interessantíssimo, que mostra, dentre outros fatos, o quanto pode ser perigoso quando um jornalista se encoraja a denunciar, por meio de suas matérias, crimes escusos de alguém socialmente influente.
Até semana que vem, meus queridos!!