quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Quem é mais irônica, a lei ou a realidade?


EXISTE lei para regulamentar, proteger ou amparar quase tudo neste país. Leis que protegem a vida, que protegem animais, que regulam o uso da floresta, etc. A maioria é uma piada ou, no mínimo, hipocrisia ou ironia.
Por exemplo, a lei 9394, famosa LDBEN, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, que regula a educação no Brasil, estabelece, no artigo 3º, inciso VII, a valorização do profissional de educação escolar; em seguida, no inciso IX, prevê a garantia de padrão de qualidade no ensino.
Ora, todos nós, sobretudo nós professores, sabemos que o professor (que está entre os trabalhadores que exercem as chamadas profissões de risco), é dos profissionais mais esquecidos e desvalorizados no Brasil. Falar em valorização do profissional escolar é uma piada. Este trabalha, normalmente, em péssimas condições e com inúmeras dificuldades (espero que não haja nenhum desses funcionários babões da SEE lendo meu texto, porque logo se manifestam os defensores da maquiagem educacional).
Depois, querer garantir padrão de qualidade em salas abarrotadas de alunos, com até 43 por sala, na maioria das escolas, tem mais a ver com sarcasmo do que com qualidade educacional. Duvido que quem escreveu esta lei seja professor ou tenha alguma experiência de sala de aula. Se for, é um hipócrita profissional.
Enquanto não houver uma revolução educacional neste país, não iremos além de falar em melhorias. Melhorias podem até ocorrer – elas maquiam a educação; mas, mudança mesmo, padrão de qualidade e referência educacional, só passarão a existir quando uma revolução nas bases educacionais for feita.

Nenhum comentário: