sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Belos versos, bela canção

 

Faltando um pedaço - Djavan

O amor é um grande laço, um passo pr'uma armadilha
Um lobo correndo em círculos pra alimentar a matilha
Comparo sua chegada com a fuga de uma ilha:
Tanto engorda quanto mata feito desgosto de filha

O amor é como um raio galopando em desafio
Abre fendas cobre vales, revolta as águas dos rios
Quem tentar seguir seu rastro se perderá no caminho
Na pureza de um limão ou na solidão do espinho

O amor e a agonia cerraram fogo no espaço
Brigando horas a fio, o cio vence o cansaço
E o coração de quem ama fica faltando um pedaço
Que nem a lua minguando, que nem o meu nos seus braços

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Acidente – em um único ato

Repórter nada inteligente: – Nós estamos aqui, no local do acidente, onde há duas motocicletas caídas e um motoqueiro gravemente ferido.
 – Nós ainda não sabemos como realmente aconteceu esse acidente.
(Homem ao chão, sangrando muito, pela boca)
(Silêncio geral)

Repórter nada inteligente (ofegante): – Vamos até esse senhor aqui, que parece ter visto o que ocorreu. Senhor, como aconteceu isso? As duas motos colidiram? (o senhor entrevistado é um dos motoqueiros envolvidos no acidente e está bêbado).

Motoqueiro: – huuhmmmunsnnnsnshhs.

Repórter nada inteligente (insatisfeita com tal resposta): Como foi exatamente tudo isso? Quem bateu em quem? Foi o senhor que bateu no outro ou ele que bateu no senhor?

Motoqueiro: – huuhmmmunsnnnsnshhs.

Speaker: Na cabeça do motoqueiro, passava-se dar a seguinte resposta (que era impedida pela grande quantidade de álcool ingerida):
“Sei lá que diabo foi que aconteceu, porra! Só sei que nóis caímo um pum lado e oto pu oto.”

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Entre coisas que não entendo

O Natal é, sem dúvida alguma, das datas mais esperadas por todos. O comércio, por exemplo, cresce espantosamente. Os centros das cidades ficam intransitáveis e as lojas abarrotadas de gente. 

Nesse período, a maioria das famílias se organiza para planejar como se reunirão e o que farão para comemorar. Uns trocam presentes, comem, bebem, dançam, riem por qualquer besteira, conversam bobagens; outros vão à igreja para pedir perdão pelos pecados do ano todo ou para agradecer a Deus por terem arranjado uma namorada. Cada um tem o seu jeito de comemorar.

O que eu não entendo, sinceramente, é o motivo pelo qual algumas pessoas se reúnem para beber muito (em um monte de casos, para se drogar) e depois esfaquear os outros, às vezes os próprios amigos ou familiares; não compreendo que alguém bata com um pedaço de madeira na cabeça de outro até matar só porque é Natal ou Ano Novo. 

Depois do Natal e do Ano Novo, as equipes de jornais têm de ser seletivas por conta do grande número de mortes, acidentes e espancamentos que ocorrem nessas datas. 

Há várias formas de se divertir no Natal e de comemorá-lo, cada um segundo suas convicções; mas, da forma como fazem alguns, não se trata, a meu ver, de comemoração; trata-se, isto sim, de insanidade mental. É o caso de se pensar na Casa Verde de Machado de Assis.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

... e a vaca continua no brejo

A Comissão Mista de Orçamento aprovou hoje, 22, o Orçamento 2011. Significa dizer que hoje foi decido (pelo menos pela Comissão) para onde vai cada por cento dos R$ 2,073 trilhões estimados como arrecadação da União.

Vamos aos números. Para a área de saúde foram destinados R$ 70,9 bilhões. Para a Educação, R$ 54 bilhões.

E com pessoal, com deputados, com parlamentares, etc., quanto será gasto? R$ 199,7 bilhões. Ou seja, mais do que a quantia destinada à Saúde e à Educação juntas. Parlamentar é bem pago. Parlamentar é um furo no bolso da União.

Pior que isso é saber que para a Copa de 2014 serão destinados R$ 360 milhões, isso sem contar com as verbas já previstas nos orçamentos dos diversos ministérios envolvidos com o evento.

O texto do Orçamento prevê, ainda, um salário mínimo (não seria máximo?) de R$ 540,00 para nós, lascados brasileiros. Há uma semana o do presidente pulou de R$ 11.000,00 para quase R$ 27.000,00.

Desse jeito, meus amigos, a vaca não sai do brejo nunca.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

R$ 26.700,00. É mole ou quer mais?

Para os que não acompanharam os jornais hoje, uma notícia: a Câmara aprovou um aumentinho para parlamentares, ministros e presidente. Sabem de quanto será o aumento? No caso do presidente, a ajudinha será de 133% em cima do que ele já recebe; ou seja, de R$ 11.000,00, o salário dele vai para R$ 26.700,00. A Dilma assume em 2011 em ótimas condiçõR$.
Mais: para entrar em vigor, o projeto só precisa passar pela votação no Senado. Na votação na Câmara, foram 279 votos a favor, 75 contra (quem foram esses corajosos, hein?) e 5 abstenções. O que vocês acham, amigos leitores, o Senado aprovará ou não?
A ajudinha aos senadores e deputados será de 61,8%; estes, atualmente, já recebem uma besteirinha: R$ 16.500,00. Toda essa grana para a maioria deles legislar em causa própria e defender seus próprios interesses.
Quem não ficou nada tiririca com a notícia foi o deputado federal mais votado do Brasil, o Tiririca, que em sua primeira visita ao Congresso Nacional, hoje, disse ter dado sorte em ter chegado ao Congresso em um bom dia, o dia do aumento. Mas tem sorte esse Tiririca, hein!
Nós, miseráveis brasileiros, também teremos reajuste no salário mínimo em 2011: R$ 30,00. Gostaram? Nem eu. Acho tudo isso um desrespeito, uma sacanagem, uma palhaçada!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Nossos governantes



Nossos governantes são mesmo arrojados, olha só como eles discutem e resolvem nossos problemas todos os dias! Depois ainda dizemos, maldosamente, que eles não fazem nada para melhorar as nossas vidas.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Silva, "O Franco"


DOMINGO, 12. Era cedinho, ainda, umas 6h, quando o telefone toca; minha mãe atende. “Não acredito”, disse ela ao telefone. Na hora, eu já desconfiei que fosse má notícia e passei a escutar atentamente. “Mataram o Franco Silva?”, perguntou ela. Aí tive certeza.

Franco Silva. Quem nunca ouviu falar dele? Quem nunca viu um de seus cartazes estampados em casas e seu nome pintado em muros de Rio Branco? Quem nunca ouviu uma de suas músicas no programa do Jorge Cardoso? O nome de Franco Silva era bem conhecido por aqui.

Como a maioria, eu o conhecia mais por nome do que como pessoa; mas conversei com ele algumas vezes – éramos vizinhos. À primeira vista, um homem inteligente, militante, um esposo, um paizão.  Um homem que levava “franco” até no nome.

Na madrugada de ontem, sábado (11), assaltantes proibiram “seu Franco”, como era conhecido aqui na rua, de continuar desfrutando da vida. Pivetes armados ceifaram a vida de um chefe de família, ferindo o coração de filhos e esposa.

Ainda sei pouco sobre o “motivo” da morte de Franco, o que pouco importa; o que interessa mesmo dizer aqui é que este mundo está em trevas. Por um punhado de dinheiro, caros leitores, bandidos destroem toda uma família. Sinceramente, isso me tira qualquer incentivo para construir casa, comprar carros, juntar dinheiro, etc. Desta vez foi o Franco, amanhã pode ser eu, você ou sua mãe, concorda?

Agora, fica uma família arrasada, com o coração destroçado, enquanto marginais se divertem em algum lugar.

Da minha parte, ofereço à família meus sinceros pêsames e aguardo a justiça de Deus, que, ainda que tardia para nós, mortais, será exercida no tempo devido.

Adeus, seu Franco, que Deus o tome para si!
           


Singela homenagem da família Tavares à família Franco

sábado, 4 de dezembro de 2010

Por que não me ufano

Meus amigos, o artigo 196 da Constituição Brasileira de 1988 é claro. Leia-o:
“A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.”
Este texto constitucional me diz que saúde é DIREITO DE TODOS; e acrescenta: é DEVER DO ESTADO. É dever de quem? DO ESTADO. É isso que leio (se não sofro de dislexia). Portanto, meus caros, se, na prática, nada disso é cumprido, então não existe Estado Democrático de Direito, a Constituição é anticonstitucional (paradoxal, não?) e isso tudo é balela.
Por conta de algumas dores abdominais, necessito urgentemente fazer uma ultrassonografia completa do abdômen. Sabem quanto custa isso, na clínica mais barata que encontrei? R$ 150,00. Eu, Tiago, não sou rico, minha mãe não é rica, não sou amigo de rico e nem tenho pensão vitalícia; dependo de serviços públicos.
Para conseguir um exame desses de forma rápida em hospitais de Rio Branco, só se entrar gritando de dor (e olhe lá!!), porque as filas são enormes, o que garante a qualquer paciente que não será atendido em menos de quatro horas. Quem faz uso desses serviços sabe muito bem do que estou falando.
Se pago impostos (demais da conta!) tendo a esperança de que eles, os impostos, “voltem” em forma de benefícios e isso não acontece, o Estado de Direito é uma farsa. Ele, na verdade, viola meus direitos.
Sabe o que mais me indigna? Saber que o Acre está entre os estados que mais recebem verbas federais e tem um sistema de saúde de causar vergonha e (muitas) mortes. Isso para não mencionar outros setores e serviços sociais públicos. Não é só a saúde que é ruim por aqui; há muito mais coisas ruins.
Em vista disso, meus amigos, quem é que tem motivos para se orgulhar de ser acriano? Só os Supermercados Araújo – aliás, até eles mudaram de ideia, parece-me. Alguém se ufana de ser brasileiro?  Só o Ronaldo, talvez; isso na propaganda federal sobre Certidão de Nascimento. Fora dela, nem ele.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Não adianta, eles não entendem!!


UPA do 2º Distrito
DESDE QUE o PT assumiu o governo do Acre, obras suntuosas vêm sendo feitas em pontos estratégicos de Rio Branco. Algumas de uma arquitetura e engenharia invejáveis, reconheça-se. A bola da vez é o tal Anel Viário. Para cantar na inauguração? Latino. Sem comentários.

Em Rio Branco, a Saúde também passou por obras e reformas. Alguns postos de saúde foram ampliados e reformados. Quem não passou por reforma foi o pessoal do atendimento, médicos, recepcionistas, enfermeiros, etc. Ou seja, o atendimento continua precário.

A maioria das escolas foi reformada; o pessoal, no entanto, não foi. Professores ruins e gestores incompetentes ainda trabalham nelas. E a Secretaria de Educação? Corta.

Eis um dos problemas mais sérios da gestão dos Viana: maquiagem. Eu e um monte de gente já dissemos: enquanto não houver qualidade nos serviços prestados, de nada adiantarão as megaestruturas. É fato, é óbvio, é claro, é evidente, é indiscutível. Só os cegos governantes deste estado não vêem isso. Ver para quê? Incomodar-se por quê? Não é com eles. Seus filhos têm saúde e escola particulares. Se eu também ganhasse uma pensão (vitalícia) de 20 mil reais por ter governado duarante oito anos, certamente não estaria aqui expondo lamúrias.

Futuro Pronto Socorro de RB
Agora estão construindo um Pronto Socorro com 5 andares e com plataforma para pouso de helicóptero (foto ao lado), alardeiam os jornais da TV Aldeia e os outdoors (feitos com o nosso dinheiro) no entorno da obra. A teoria é a mesma: pode haver 50 andares; se não houver humanidade no atendimento; se não houver interesse por parte de médicos e funcionários em geral em resolver os problemas das pessoas que necessitam dos serviços; enfim, se não houver gestão incorruptível, continuaremos andando para trás; continuaremos atolados na merda da maquiagem.

Outra paranóia dos governantes acrianos: acham eles que educação se faz com shoppings e showzinhos. Meus amigos, até quando iremos tolerar essas esquizofrenias governamentais?   

Uma dica: meu caro leitor e cidadão acriano, se algum dia você precisar de uma consulta médica pública por aqui, escolha, antes, morrer com seu problema. Meus amigos, no Acre, que é um retrato do Brasil, saúde pública é disfarce. 

Deixo a seguir, para nossa reflexão, alguns belos versos de Humberto Gessinger:

[...] esse mundo em movimento
Parece não mudar
É igual ao que já era
De onde menos se espera
Dali mesmo é que não vem

Visão de raio-x

O x dessa questão
É ver além da máscara
Além do que é sabido, além do que é sentido
É ver além da máscara

Trecho da música "Além da máscara"