sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Dor e Revolta

O mundo passa por dias terríveis. Há dias e lugares mais terríveis que outros, é verdade. Mas, no geral, o mundo caminha para um colapso. A cada dia, morar no Brasil, por exemplo, se torna mais e mais um verdadeiro desafio. É preciso ter muita coragem para viver aqui.

Nos jornais, leio a notícia do covarde assassinato da juíza Patrícia Acioli. Motoqueiros a cercaram e a fuzilaram na porta da casa dela, em Niterói, RJ. Foram 21 disparos, informou a polícia. O motivo? Ela mandava prender policiais corruptos e milicianos. Recentemente mandou para trás das grades 10 acusados de participarem do crime organizado no Rio de Janeiro. Ser ou tentar ser honesto pode custar muito, mas muito caro.

Um fato como este gera tanta dor e revolta que temos vontade de fazer justiça. Temos vontade de pegar os responsáveis pelo crime e fuzilá-los, assim como foi feito com a juíza.

Patrícia Acioli era ‘linha dura’, informam os jornais. Acioli fazia justiça, por isso morreu brutalmente. Parece mesmo que a bandidagem está dominando o Rio de Janeiro e outras cidades do Brasil. Se não cuidarmos, eles serão(?) eleitos prefeitos, governadores, vereadores, etc.

À família daquela juíza sobraram duas coisas: dor e revolta. Nada mais.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011