segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Abaixo do mínimo


Sempre critiquei os serviços de saúde pública brasileira. Mais especificamente os serviços oferecidos no Acre, onde moro. Quando alguém que acredita em Papai Noel diz que a Saúde no Acre melhorou, penso comigo: se melhorou, quem a melhorou não está fazendo mais do que sua obrigação. E se piorasse, estaríamos lascados. O fato é que, quando alguém comenta coisas assim, não me animo muito, e logo constato que melhoraram a aparência, não os serviços. Chamo de ‘melhora de faixada’.

Matéria do Jornal A Tribuna mostrou hoje, 12 de setembro, que 8 prefeituras deixaram de investir o mínimo na Saúde.  Diz que levantamento feito pelo Tribunal de Contas do Estado revelou falta de compromisso. Meus botões revelaram isso há muitos anos.

De acordo com os dados levantados pelo TCE, dados de prestações de contas dos municípios em 2010, Porto Walter levou o 1º lugar no ranking dos municípios que menos investiram em Saúde: investiu em atendimento médico apenas 11,50% de todo o orçamento do município, quando o mínimo seria 15%. Epitaciolândia conseguiu o 2º lugar: investiu 12,55%. Cruzeiro do Sul, Feijó e Plácido sequer conseguiram comprovar todos os investimentos para que fossem contabilizados - os dados fornecidos por estes municípios foram considerados inconsistentes.

Dos municípios que investiram acima de 15%, cumpriram apenas as formalidades da lei para não serem punidos. É dose, meus amigos!!
O que fazer quando não se cumpre nem o mínimo?

Confira o ranking dos municípios acrianos que menos investiram em Saúde Pública, divulgado pelo A Tribuna:

Porto Walter: 11,50%;
Epitaciolândia: 12,55%;
Rodrigues Alves: 13,22%;
Jordão: 13,80%;
Xapuri: 13,90%;
Rio Branco: 15,20%; (quase que não chega aos 15%);
Tarauacá: 15,40%;
Assis Brasil: 15,56%;
Bujari: 15,63%;
Mâncio Lima: 15,64;
Manoel Urbano: 15,93%;
Sena Madureira: 16,52%;
Senador Guiomard: 17,55%;
Santa Rosa do Purus: 19,37;
Capixaba: 24,46%;
Cruzeiro do Sul: dados inconsistentes;
Feijó: dados inconsistentes;
Plácido de Castro: dados inconsistentes;
Acrelândia: dados ainda não analisados;
Brasiléia: dados ainda não analisados;
Marechal Thaumaturgo: dados ainda não analisados;
Porto Acre: dados ainda não analisados;