terça-feira, 24 de julho de 2012

Dicionário dos 'mano'

Mano não vai embora, vaza.
Mano não briga, arranja treta.
Mano não bebe, chapa o coco.
Mano não cai, toma um capote.
Mano não entende, se liga.
Mano não passeia, dá um rolê.
Mano não entra, cai pra dentro.
Mano não fala, troca idéia.
Mano não dorme, apaga.
Mano nunca ta apaixonado, tá a fim.
Mano não namora, dá uns catos.
Mano não mente, dá um migué.
Mano não ouve música, curte som.
Mano não se dá mal, a casa cai.
Mano não acha interessante, acha bem loco.
Mano não tem amigos, tem uns truta/uns camaradas
Mano não mora em bairro, se esconde nas quebradas.
Mano não vai para o Guarujá, cai pro litoral.
Mano não tem namorada, tem mina
Mano não faz algo legal, faz umas paradas firmeza.
Mano não é gente, é mano
E para finalizar:”sangue na veia de mano não corre…tira racha”

CERTO, MANO?!


Disponível em: Blog dos Caipira. Acessado em 24/07/2012.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Um dia histórico: Demóstenes Torres é cassado

Ex-senador Demóstenes Torres, agora cassado
Breve comentário: o sistema político brasileiro virou uma coisa tão horrenda, tão nojenta e vergonhosa que, mesmo diante de tantas provas, de tantas gravações feitas pela PF em que aparecem conversas com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, só agora Demóstenes Torres terá o mandato cassado. Com essa ação, o ex-senador fica inelegível até 2027 (se ficasse até o fim da vida não seria nada mal). 


Portanto, hoje é um dia histórico porque não é todo dia que vemos um político sendo cassado, ao menos no Brasil - em toda a história (como diria o Chaves: 'contando com Demóstenes') foram apenas dois. Por se tratar de um dia histórico, espero que políticos ligados a Demóstenes (sejam eles acrianos ou não) não proponham um feriado para "O dia em que Demóstenes foi cassado". 


Diante de um cenário político tão corrupto e inescrupuloso como o nosso, a cassação de deputados não deveria ser novidade.

Um dia depois: Demóstenes Torres protocolou hoje, 12, um dia depois de ter sido cassado por quebra de decoro, um  comunicado de exercício no Ministério Público de Goiás. Agora, ele reassume o cargo de procurador de Justiça na 27ª Procuradoria de Justiça de Goiás, da qual é titular. Quanto vai ganhar por lá? Bom, honestamente, o salário do ex-senador será uma merdinha em torno de R$24.117,62 mil, mais benefícios. Agora, o que ele vai conseguir tirar por fora...

terça-feira, 10 de julho de 2012

Curioso, no mínimo

Pomba branca pousou sobre o caixão do cardeal Dom Eugenio Sales. Mistério ou apenas casualidade? 

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Los porongas na Conha Acústica


Sabendo que hoje cedo não teria de levantar às 6h e entrar debaixo de um chuveiro, para em seguida ir à escola dar aulas (estou de férias desde sexta passada), ontem fui à concha acústica para ver e ouvir Los Porongas, uma banda acriana ainda pouco conhecida pelos próprios acrianos, mas que já alcança certo respeito no Sul do país e até é incluída entre as principais do rock nacional contemporâneo – os dois discos gravados pela banda até agora, "Los Porongas", em 2007, e " O segundo depois do silêncio", em 2011, foram incluídos entre os melhores dos respectivos anos de lançamento e viraram notícia em importantes jornais e portais do país. Leia mais aqui.



O show foi o que se esperava, mas antes que Los Porongas entrasse no palco, surpreendeu-me a guitarra de um cara chamado Saulinho, da banda Caldo de Piaba. Confesso que provei de um Caldo de Piaba mais forte que os de costume. Saulinho toca muito.



Acompanho Los Porongas há mais de quatro anos, e não posso deixar de dizer que os caras fazem um som diferenciado, envolvente. Quem esteve ontem na Concha pôde conferir uma intrínseca combinação de poesia com acordes dissonantes e uma guitarra às vezes estridente. Os caras mandam muito bem. Só achei infantil a atitude da banda de anunciar o fim do show e sair do palco (à moda de algumas bandas já consagradas), para em seguida ser adulada pela plateia para que tocasse mais. E não é a primeira vez que os músicos fazem isso.

terça-feira, 3 de julho de 2012

Para faltar ao trabalho, professora inventou ter câncer


Nicola Lynne Hibberd, professora de uma escola primária na cidade de Mansfield, na Inglaterra, fez todos no trabalho acreditarem que ela tinha câncer terminal. A britânica de 44 anos recebeu apoio de colegas, pais de alunos e até mesmo das crianças para enfrentar a falsa doença. De acordo com o site “Mail Online”, ela acabou banida das salas de aula quando a verdade foi descoberta.


Para sustentar a mentira, Nicola chegou a produzir falsas cartas de médicos. Um dos especialistas imaginários, Dr. Richard Baxter, disse em documento que a doença estava nos estágios finais e que a paciente precisava de tratamento imediato. A britânica usava a desculpa do câncer para faltar ao trabalho.

A farsa só foi descoberta quando o diretor da escola percebeu que uma das cartas que Nicola afirmava ser do médico parecia ter sido copiada do site Macmillan Cancer, organização de caridade de combate à doença. Ele ligou para o hospital, com a intenção de falar com a equipe que cuidava do caso de Nicola. Só então descobriu que a tal equipe não existia.

Nicola foi demitida e condenada por conduta profissional inaceitável. Em audiência, ela não forneceu qualquer explicação sobre o motivo de ter inventado a doença. A professora foi proibida de dar aulas por tempo indeterminado, mas daqui a cinco anos poderá entrar com o pedido na Justiça para voltar a ensinar.

Pais de alunos e crianças ficaram chocados ao saber das mentiras da professora.
- Eu estou horrorizada e não consigo acreditar nisso - disse Kelly McDonnell, de 37 anos, mãe de um aluno de 8.