quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Você a entende? Duvido!

Acabo de acessar o sítio agazeta.net e ler o seguinte resumo noticiário: "Prorrogação de IPI fará prefeitos empossados em 2013 a encontrar caixas vazios”. Você entende a chamada? Não? Nem eu. Aliás, nem eu, nem você nem ninguém. O motivo? Está confusa. Muito confusa.  

Erro ampliado no emprego da vírgula no outdoor acima

Ficamos nos perguntando o que estaria fazendo ali a expressão “[...] a encontrar...”. Não cabe, é totalmente inadequada. Só os caras que são pagos para enxergar essas coisas (os revisores) não veem isso. Talvez aqui caiba uma pergunta maldosa: há pelo menos revisores nesses jornais daqui? Se há, é urgente que estudem um pouco mais.

Dessa forma, os jornais acrianos se esforçam para manter a tradição da péssima qualidade. Chega a impressionar: os caras conseguem manter o padrão de baixa qualidade desde a chamada até a notícia propriamente dita.  Infelizmente, ainda não vale a pena assinar nenhum jornal do Acre, e nem sei quando isso acontecerá. 

Chega! Vou continuar lendo o blogue do Altino...

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Poesia na sala de aula


Escuridão de um velho coração

Na escuridão
de um abismo,
só escuto o eco
do meu coração
pedindo atenção.

Eu grito por
alguém e ninguém
pode me ver.
Quem está comigo
eu gostaria muito de saber.

Eu estou aqui,
eu existo e quero atenção.
Depois não me venham,
no abismo de um caixão,
pedir para mim e para Deus
perdão.


Texto de Ana Keyla Silva - aluna do 9º ano "C" da escola Padre Carlos Casavecchia




terça-feira, 14 de agosto de 2012

Ideb: Brasil supera metas no ensino fundamental


O Brasil superou as metas na educação propostas pelo Ministério da Educação (MEC) para serem alcançadas em 2011 nos dois ciclos do ensino fundamental (de 1º ao 5º ano e do 6º ao 9º ano), mas apenas igualou a meta projetada para o ensino médio, de acordo com o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgado nesta terça-feira, 14 (veja gráfico ao lado). Veja o gráfico com números da educação no Acre:


Clique e amplie

Leia a matéria na íntegra: Globo.com

sábado, 11 de agosto de 2012

O papel da escola


Nos últimos anos, “o papel da escola” tem sido um dos assuntos mais debatidos no campo educacional. 

Efetivamente preocupados com esse assunto, professores, acadêmicos e doutores têm se debruçado sobre o mesmo, buscando, por meio de perguntas e de leituras da crítica especializada, respostas e soluções para esse imbróglio.

Por ser um assunto polêmico, há vários pontos de vista, e uma das questões mais relevantes e que desperta a maior diversidade de opiniões tem a ver com a qualidade desse papel, com o qual, segundo os mais críticos, a escola tem faltado.

De um lado, há os mais pessimistas, que criticam, reclamam, esbravejam a ideia de que a escola não tem cumprido com o seu papel. De outro, há os mais otimistas, que acham até que a escola nunca, em toda a sua história, foi tão efetiva.

Eu, particularmente, fico dividido entre as duas opiniões, mas confesso que simpatizo mais com esta última: não creio que a escola esteja pecando no que diz respeito ao seu papel. Tanto é verdade que, na escola onde trabalho, por exemplo, esse papel já ganhou até nome de batismo: Soltinho. É sério. Não minto.

Quando me perguntam sobre isso, sempre respondo o seguinte: olha, pode até ser que esse tal “papel da escola” não seja da melhor qualidade, mas dizer que a escola tem faltado com ele... Ah não, aí não dá.

Não sei nas outras escolas, mas onde dou aulas a escola não tem faltado com o Soltinho nunca.