sábado, 25 de abril de 2015

UMA HOMENAGEM

Professor, você chegou, com esse jeito, e conquistou todos que aqui estão.
Seu nome será lembrado por sua dedicação.

Aprendemos muitas coisas, apesar do pouco tempo que aqui você ficou. As sementes que plantou, com certeza germinaram.

Estas sementes serão, com carinho, bem regadas. E as mãos que as plantaram serão sempre bem lembradas.

Você demonstra, na prática, que ensina por prazer. Não visa só o salário, do contrário já teria ido outra função exercer.

Você ensina com amor, por isso o admiramos. Pensa na aprendizagem de todos os seus educandos.

Obrigada, professor!, por tudo que nos ensinou. Pena que ficou pouco tempo. Foi bom, porém acabou.

Maria da Conceição

Aluna do curso de Teologia da FADISI

O BRASIL DOS EXAGEROS

Exageros na desigualdade social;
Exagero na destruição de valores;
Exagero contra a dignidade humana;
Exageros de corrupção, indiscutivelmente o mal do século;
Exagero na cobrança de impostos, como água, luz, internet;
No país do desrespeito, nossos direitos são enterrados numa vala.
Somos o país do povo pobre, que se humilha e se consola com pouca coisa.
País do povo nobre, que trabalha e constrói uma nova história.
País do índio, do preto, do branco, do pardo e do caboclo, que juntos não recebem nada de respeito e compaixão.
País das grandes massas, que informações não retêm e vivem sempre aquém do terceiro mundo.

Robis Pierre
Aluno do curso de Teologia da FADISI (Faculdade Diocesana São José)